Atentados deixam pelo menos 50 mortos em Bagdá

Quatro atentados em diferentes regiões de Bagdá deixaram pelo menos 50 mortos e 54 feridos neste domingo, 25. O pior deles foi causado por um homem-bomba que carregava explosivos e causou a morte de pelo menos 38 pessoas em frente à Universidade de Bagdá; pelo menos 44 pessoas teriam ficado feridas; a maioria estudantes.Antes, dois foguetes Katyusha foram lançados em um bairro predominantemente xiita na região sul de Bagdá, deixando pelo dez mortos. Em outro atentado, nos arredores da Embaixada do Irã na capital iraquiana, pelo menos duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas. Após o atentado, o Governo iraniano negou que sua embaixada em Bagdá tivesse sido alvo de um atentado com carro-bomba, segundo a agência iraniana "Irna", que citou fontes governamentais."A explosão não ocorreu perto da embaixada, nenhum dos funcionários ficou ferido e o edifício da embaixada não foi danificado. Este atentado não tem nada a ver com a legação diplomática" iraniana, afirmou a "Irna", citando uma "autoridade do Governo" do Irã.A onda de ataques acontece um dia depois do primeiro-ministro iraquiano Nuri Al-Maliki ter destacado os progresso do plano de segurança dos Estados Unidos no país para combater a violência na capital.A Universidade de Bagdá, está em um distrito predominantemente xiita, porém tem estudantes de várias religiões. A universidade faz parte da Universidade Mustansiriya, que fica em outra região da capital iraquiana, que durante o mês de janeiro foi palco de diversos atentados que deixaram 70 mortos.Esta matéria foi atualizada às 11h16

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.