Atentados em série matam ao menos 47 no Iraque

Uma sequência de explosões na região central do Iraque, ao longo de um período de duas horas nesta quarta-feira, matou ao menos 47 pessoas e deixou pelo menos 100 feridos, disseram autoridades locais. A maioria das vítimas eram peregrinos muçulmanos xiitas, que participavam das comemorações do aniversário de morte do imã xiita Moussa al-Kadhim, bisneto do profeta Maomé. Ataques com carros-bomba ocorreram em Bagdá e em cidades localizadas ao norte e ao sul da capital iraquiana. Segundo a polícia, além de explosivos foram detonados ao menos sete carros-bomba.

Agência Estado

13 de junho de 2012 | 05h24

Na cidade de Hilla, dois carros-bomba explodiram e deixaram pelo menos 19 mortos e 40 feridos. Na cidade de Baqouba, capital da província de Diyala, foram nove explosões em acostamento de uma estrada, e um carro-bomba foi detonado. Em Balad, ao norte de Bagdá, outros dois carros-bomba explodiram e um outro foi detonado em Al-Azizyah, ao sul de Bagdá. A violência segue em elevação no Iraque, cenário de atentados dirigidos principalmente contra alvos xiitas e as forças de segurança. Esses ataques se intensificaram desde a saída das tropas americanas, em 18 de dezembro. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Iraqueataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.