Atentados marcam abertura de cúpula em Sevilha

Três atentados com carro-bomba atribuídos ao grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade) ocorreram nesta sexta-feira, na chamada Costa do Sul e em Zaragoza, causando ferimentos em sete pessoas, informou o Ministério do Interior da Espanha. Os atentados coincidiram com a abertura da cúpula de chefes de Estado e governo da União Européia (UE), em Sevilha - cidade localizada a pouco mais de 200 quilômetros do litoral espanhol.A primeira explosão ocorreu no estacionamento do hotel Las Piramides, de Fuengirola, localizado perto da praia. Houve seis feridos, três dos quais britânicos que estavam hospedados ali. O estado de pelo menos um deles, um cidadão britânico de 33 anos, é considerado grave. Fragmentos de metal alojaram-se nospulmões, diafragma e num braço dele. "A cirurgia foi bem-sucedida e, se não houver complicações,ele tem boas chances de escapar dessa", disse um porta-voz do hospital de Fuengirola. Os demais feridos foram atingidos por cacos de vidro e pedaços de tijolos e concreto lançados àdistância pelo impacto da explosão.O segundo atentado aconteceu seis horas depois, diante do hotel Sultan, de Marbella (27 quilômetros ao sul de Fuengirola), apontada como o balneário mais luxuoso da Costa do Sol. Nãohouve feridos, mas os danos foram elevados em seis edifícios. Além disso, 16 automóveis ficaram praticamente destruídos. Os extremistas alertaram a polícia espanhola sobre os atentados poucos minutos antes, o que, segundo agentes, "evitou uma tragédia".Tanto no caso de Fuengirola quanto de Marbella houve tempo para retirar os hospedes dos hotéis e isolar as áreas. Os turistas feridos em Fuengirola cruzaram inadvertidamente a região, informou um investigador da polícia espanhola. O terceiro carro-bomba explodiu no estacionamento da rede de lojas El Corte Inglés na cidade de Zaragoza, norte do país. Um segurança teve ferimentos leves. Vários automóveis ficaramdanificados. Também neste caso, a polícia recebeu um alerta dos extremistas.Em Marbella, o diretor do Departamento de Turismo, Juan Fraile, lamentou os reflexos negativos dos atentados sobre o turismo daregião. Ele disse que a repercussão será muito maior no exterior, principalmente em função de o país exercer atualmente a presidência rotativa da UE e de estar sediando a cúpula dos chefes de Estado e governo da comunidade.Recentemente, a União Européia, por iniciativa doprimeiro-ministro espanhol, José Maria Aznar, incluiu o grupo separatista basco ETA em sua lista de organizações terroristas, com bens e recursos congelados em todos os 15 países membros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.