Atentados matam pelo menos oito no Paquistão

Dois soldados morrem; ataques ocorrem no mesmo dia em que Zardari disse que acabará com o terrorismo

Efe,

20 de setembro de 2008 | 11h10

Pelo menos dois soldados morreram neste sábado, 20, e três ficaram feridos no segundo ataque do dia contra um comboio das forças de segurança no noroeste paquistanês, informou à Agência Efe o porta-voz do Exército Murad Khan. A fonte afirmou que o atentado, no qual insurgentes explodiram uma bomba quando veículos passavam pelo local, ocorreu quando um comboio se dirigia da Província da Fronteira Noroeste (NWFP) até a localidade de Wana, capital da região tribal do Waziristão do Sul, na fronteira com o Afeganistão. Horas antes, outras seis pessoas, entre elas dois soldados, morreram e cinco ficaram feridas em um atentado suicida contra um comboio do Exército que ia à região tribal do Waziristão do Norte. Os atentados contra as forças de segurança são freqüentes na NWFP e no cinturão tribal limítrofe com o Afeganistão, um território que nunca esteve sob completo domínio do Estado.  O Exército desenvolve atualmente operações contra a insurgência no vale do Swat (norte), da NWFP, e na demarcação tribal de Bajaur, que, desde o começo de agosto, já mataram centenas de rebeldes, segundo fontes militares. Os ataques ocorrem no mesmo dia em que o novo presidente do país, Asif Ali Zardari, compareceu pela primeira vez no Parlamento nacional, onde expressou sua decisão de acabar com o terrorismo, apesar de ressaltar que a "força é só o último recurso."

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.