Atentados não mudam prazo para EUA saírem do Iraque

O governo dos Estados Unidos afirmou hoje que a volta dos ataques a bomba no Iraque não comprometerá sua meta de retirar do país suas tropas até o final de agosto. Hoje, pelo menos cinco grandes explosões atingiram prédios de apartamentos, e uma sexta aconteceu em um mercado de Bagdá. O total de mortos já chegou a 50 nesta terça-feira.

AE-AP, Agência Estado

06 de abril de 2010 | 19h55

"Eu acredito que muitos esperam que os insurgentes usarão esse tempo (de impasse político no Iraque) para reverter o progresso, tanto político quanto militar, que estamos vendo no Iraque", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.

Segundo ele, a Casa Branca está em contato direto com o embaixador dos EUA em Bagdá, Christopher Hill, e com o comandante das tropas americanas no Iraque, o general Ray Odierno. Gibbs afirmou que Odierno "acredita que isso não ameaçará nossa habilidade em retirar nossas forças mais tarde neste ano". Segundo ele, a Casa Branca está atenta aos passos necessários que devem ser tomados pelos líderes iraquianos para formar um novo governo. Com informações da da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueatentadosEUAtroparetirada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.