?AFP PHOTO / BRAHIM ADJI
?AFP PHOTO / BRAHIM ADJI

Atentados suicidas atribuídos ao Boko Haram deixam 30 mortos no Chade

Primeiro ataque do grupo insurgente nigeriano no país atingiu delegacia central e escola de recrutamento da polícia

O Estado de s. Paulo

15 de junho de 2015 | 17h10

N'DAJAMENA - Pelo menos 30 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas em um duplo atentado suicida na manhã desta segunda-feira, em N'djamena, capital do Chade. Em motocicletas, os supostos membros do Boko Haram, atacaram a delegacia central e uma escola de recrutamento da polícia. O Ministro das Comunicações, Hassan Sylla Bakari, afirmou que o grupo cometeu um erro e o ato não diminuirá a determinação do país em combater o terrorismo.

Entre os mortos nas duas explosões simultâneas, confirmadas pelo Ministério do Interior, pode haver policiais e cidadãos que estavam na delegacia. As forças de segurança isolaram o local em busca de artefatos explosivos e iniciaram as investigações sobre possíveis cúmplices.

Essa foi a primeira ofensiva do grupo radical islâmico no Chade, após seguidas ameaçadas de seu líder, Abubakar Shekau. Desde o início do ano, o exército chadiano luta contra o Boko Haram na Nigéria e já expulsou o grupo de mais de 60 localidades no nordeste do país.

Na semana passada, a Nigéria e os países vizinho acordaram constituir, antes de julho, uma força regional para lutar contra a insurgência do grupo, agora filiado ao Estado Islâmico (EI). N'djamena será a sede da força e já acolhe o quartel-general da "Operação Barkhane", missão internacional liderada pela França para lutar contra o fundamentalismo islâmico no Sahel. / EFE e AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Boko HaramNigériaChadedelegacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.