Atentando com carro-bomba deixa 43 mortos na Síria

Um carro-bomba invadiu uma garagem lotada em uma região na fronteira entre a Síria e a Turquia controlada pelos rebeldes sírios, matando ao menos 43 pessoas, informaram grupos ativistas. O ataque ocorre às vésperas das eleições presidenciais de 3 de junho na Síria.

AE, Agência Estado

15 Maio 2014 | 20h56

O grupo britânico Observatório Sírio de Direitos Humanos disse mais de 80 pessoas ficaram feridas no atentando. Segundo Rami Abdurrahman, chefe do observatório, entre os 43 mortos há sírios que foram levados a hospitais na Turquia.

Um vídeo amador publicado na internet mostra mulheres, homens e crianças no local da explosão, próximo à passagem de Bab al-Salameh, na província síria de Aleppo. As pessoas costumam atravessar a fronteira a pé, por isso a garagem estava lotada de veículos com pessoas chegando ou partindo da fronteira.

Na Turquia, um funcionário do governo que falou com a condição de não ter o nome publicado, disse que 94 sírios feridos foram trazidos da fronteira, sendo que 14 deles morreram.

Rebeldes sírios que lutam contra o presidente Bashar Assad capturaram a passagem no lado sírio em julho de 2012, abrindo um importante ponto de trânsito de pessoas e suprimentos.

Mais cedo, o grupo Médicos Sem Fronteiras anunciou que cinco de seus funcionários sequestrados em janeiro foram libertados. Em comunicado, o grupo informou que três deles foram soltos em 4 de abril e os outros dois na quarta-feira.

Os Médicos Sem Fronteiras disse que os funcionários são da Bélgica, Dinamarca, Peru, Suécia e Suíça, mas não afirmaram se algum resgate foi pago.O grupo disse que os sequestros levaram ao fechamento de um hospital e dois centros médicos. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síria atentado sequestros

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.