Atentatos no Sul da Tailândia deixam ao menos 10 feridos

Os ataques foram causados por um grupo separatista islâmico. Desde 2004 mais de 3 mil pessoas já foram mortas

Efe

13 de janeiro de 2010 | 04h48

Cerca de dez pessoas, entre elas três soldados, ficaram feridas após uma série de atentados com bombas realizadas nesta quarta-feira, 13, no sul da Tailândia, informou a polícia local.

 

O primeiro atentado aconteceu pouco depois do amanhecer, quando uma bomba instalada em uma motocicleta e ativada por um celular deixou três feridos em frente a um salão na província de Pattani.

 

Quase ao mesmo tempo em Yale, província vizinha a Pattani, três soldados e quatro civis saíram feridos após a explosão de uma bomba em um mercado. Ataques com armas brandas, assassinatos e atentados a bombas são prática diária no sul da Tailândia. Desde 2004, quando o movimento separatista islâmico passou a atuar na região, mais de 3.700 pessoas já morreram.

 

A intenção do grupo é a criação de um estado islâmico para colocar fim a discriminação que sofrem por parte da maioria muçulmana da região. E, pela primeira vez, desde que os conflitos começaram, os governos da Tailândia e da Malásia já pensam em ceder e conceder autonomia da região sul para, quem sabe, encerrar a onda de violência que assola a região.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândia, atentados, bombas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.