WJLA via AP
WJLA via AP

Atirador invade redação de jornal no leste dos EUA, mata 5 e é capturado

Suspeito é identificado como Jarrod Ramos, de 38 anos, que em 2012 abriu um processo por difamação contra um colunista e o então editor-chefe; ele foi indiciado por homicídio nesta manhã

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2018 | 16h37
Atualizado 29 de junho de 2018 | 08h47

ANNAPOLIS, EUA - Um atirador matou cinco pessoas e feriu gravemente várias ao atacar a redação do jornal Capital Gazette em Annapolis, capital do Estado americano de Maryland, a 51 quilômetros de Washington. A polícia confirmou que havia apenas um atirador, que foi preso. O suspeito, identificado como Jarrod Ramos, foi indiciado por homicídio e participará de uma audiência nesta manhã para discutir direito à fiança.

+++ Após ataque em Maryland, segurança é reforçada em sedes de jornais de NY

As autoridades tratavam o caso como um incidente local sem suspeitas de terrorismo. O suspeito foi identificado como Jarrod Ramos, 38 anos, morador da cidade de Laurel. Ele foi interrogado e preso após ser indiciado por cinco homicídios qualificados. Registros judiciais indicam que uma audiência para discutir direito à fiança foi agendada para às 11h30 desta sexta-feira (horário de Brasília). Até o momento, nenhum advogado foi listado para defender Ramos, que poderá ser representado por um defensor público. 

A polícia informou ainda que para descobrir a identidade do suspeito foi preciso recorrer ao reconhecimento facial, já que o atirador havia danificado suas impressões digitais. Os investigadores afirmaram que ele foi pouco colaborativo durante depoimento.

"Este indivíduo tinha algum tipo de vingança contra o jornal", explicou em entrevista coletiva, o tenente Ryan Frashure, porta-voz da polícia do Condado de Anne Arundel, onde aconteceu o tiroteio. Frashure detalhou que o suposto autor do tiroteio tinha ameaçado o jornal através das redes sociais.

Em 2012, Ramos abriu um processo por difamação contra Eric Hartley, ex-colunista do jornal e Thomas Marquardt, então editor-chefe, pela cobertura de um caso de assédio no qual foi condenado. No entanto, a Justiça decidiu a favor do jornal ao considerar que Ramos não conseguiu apresentar provas suficientes que o jornal tenha publicado qualquer difamação ou mentira envolvendo seu nome.

 

O administrador do Condado de Anne Arundel, onde fica Annapolis, Steve Schuh, explicou que a polícia encontrou o atirador escondido sob uma mesa no prédio. Sua arma não estava próxima dele. Os policiais também acharam no prédio um pacote com um líquido inflamável e toda a ação, segundo Schuh, parecia ser de um “amador”. 

Um repórter do Capital Gazette, Phil Davis, relatou o que aconteceu no Twitter. Segundo ele, um homem entrou atirando e atingiu vários funcionários. “Não há nada mais aterrorizante do que ouvir várias pessoas sendo baleadas enquanto você se esconde sob sua mesa e escuta o atirador recarregar a arma.”

O chefe da Polícia do Condado de Anne Arundel, William Krampf, confirmou as cinco mortes em uma entrevista coletiva. O porta-voz, Ryan Frashure, explicou que os policiais chegaram ao local 60 segundos após serem acionados e prenderam o atirador. Cerca de 170 pessoas foram tiradas do prédio e imagens de TV mostravam algumas delas saindo com as mãos para o alto.

Em uma entrevista para a versão online do Capital Gazette, Davis explicou que o atirador disparou primeiro contra uma porta de vidro e depois invadiu a redação. Segundo ele, a cena se parecia com uma “zona de guerra” dentro da redação e uma situação “difícil de descrever”. “Eu sou repórter de Polícia. Escrevo sobre essas coisas. Não necessariamente com essa extensão, mas sobre tiros e mortes, o tempo todo”, disse. 

“Por mais que eu tente articular quão traumatizante é ficar escondido sob sua mesa, você não vai saber até estar lá e se sentir totalmente desamparado.” Davis disse que ele e os colegas continuaram escondidos mesmo depois que o homem parou de atirar. “Não sei por quê. Não sei porque ele parou”, disse. 

O Capital é um dos jornais mais antigos dos EUA – começou a circular em 1884 – e pertence ao Baltimore Sun Media Group. O grupo informou na noite desta quinta-feira que a edição de amanhã, 29, vai ser publicada graças à força tarefa de vários jornalistas do conglomerado. O jornal tem uma tiragem de cerca de 67 mil exemplares durante a semana e 83 mil nos finais de semana. 

O editor do Capital Gazette, Jimmy DeButts, afirmou pelo Twitter que estava “devastado e com o coração partido”. Segundo ele, o jornal apenas faz o “trabalho que têm de fazer”. “Não existe semana de 40 horas ou grandes pagamentos, apenas uma paixão por contar histórias da nossa comunidade.” 

Trump usou o Twitter para manifestar que seus “pensamentos e orações” estavam comas “vítimas e suas famílias”. / AP, AFP e REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.