Atirador da Nasa tinha desavença com vítima, diz polícia

A Nasa e a polícia divulgaram na sexta-feira à noite a identidade do atirador que invadiu o prédio da agência espacial norte-americana, matando uma pessoa e mantendo outra refém.O homem foi identificado como Willian Phillips, de 60 anos. Aparentemente, ele tinha desavenças com o homem assassinado, afirmou o chefe de polícia Harold Hurtt, sem dar mais detalhes.A Nasa identificou a vítima como o funcionário da Nasa David Beverly, 62 anos. Beverly foi atingido com um tiro no peito e foi morto provavelmente "nos primeiros minutos do ocorrido", segundo a polícia.A esposa dele, Linda, disse que seu marido era um especialista em componentes elétricos que acreditava que trabalhar na Nasa era sua vocação. De acordo com ela, Beverly já havia falado sobre Phillips. Linda, porém, se recusou a dizer qual foi o comentário do marido, argumentando que não seria justo com Phillips.A segunda refém, identificada pela Nasa como Fran Crenshaw, que prestava serviços para a agência, escapou depois de ter sido presa a uma cadeira com fita adesiva. Ela trabalhava na mesma área que os dois e foi provavelmente feita refém após Beverly ser morto, disse Hurtt.Phillips, um funcionário da Jacobs Engineering, empresa que presta suporte técnico à Nasa, trabalhou para a agência espacial por 13 anos e "até recentemente, era um bom funcionário", disse Mike Coats, diretor do Centro Espacial Johnson.Ele não era casado, nem tinha filhos e aparentemente vivia sozinho. O atirador deixou números de telefone e nomes de pessoa para contato e escreveu um bilhete em um quadro da sala, disse a polícia. "Não me lembro o que estava escrito", disse Hurtt.SegurançaOs oficiais da Nasa que examinaram as medidas de segurança após o massacre na Universidade Virginia Tech, ocorrido menos de uma semana antes, estão tentando descobrir como o funcionário terceirizado conseguiu entrar no Centro Espacial Johnson e assassinar outro trabalhador antes de se suicidar."Nesse momento estamos tentando entender por que isso aconteceu, como aconteceu", disse Coats. Segundo ele, eles haviam verificado seus procedimentos nesta semana devido ao ocorrido na Virginia Tech, no qual um atirador matou 32 pessoas. "Mas claro que nunca acreditamos que isso poderia acontecer aqui com a nossa família e nossa situação."O porta-voz da Nasa Doug Peterson disse que a agência vai rever sua segurança. Durante o ocorrido, os funcionários da Nasa no prédio foram mandados para a casa, e outros receberam a orientação de continuar em seus escritórios por diversas horas. As estradas dentro do campus do centro espacial também foram bloqueadas, e uma escola que fica próxima ao centro manteve seus professores e alunos fechados após o término das aulas.CentroNo Centro Johnson, localizado ao sudeste de Houston, está o controle de todas as missões das naves da Nasa. O Centro foi inaugurado em 1961 e conta com 3 mil empregados, a maioria deles engenheiros e cientistas.Além disso, no complexo e em prédios próximos trabalham mais de 12 mil pessoas subcontratadas, segundo a Nasa.O presidente norte-americano George W. Bush foi informado sobre o ocorrido enquanto voava de volta para Washington, vindo de um evento em Michigan, segundo a porta-voz da Casa Branca Dana Perino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.