Tom Russo/EFE EPA
Tom Russo/EFE EPA

Atirador de Ohio tinha cocaína e álcool no corpo, mostra autópsia

Atirador de Dayton, nos Estados Unidos, matou nove pessoas antes de ser abatido no dia 4 de agosto

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2019 | 02h08

Washington - A autópsia do corpo do atirador de Dayton, que no dia 4 de agosto matou nove pessoas antes de ser abatido, revelou a presença de cocaína, álcool e um tranquilizante, informou nesta quinta-feira, 15, o legista do condado de Montgomery, Kent Harshbarger.

De acordo com o especialista, também foram encontrados um cachimbo e uma bolsa com cocaína que Connor Betts - o suposto autor dos disparos - levava.

Betts usava uma máscara e um colete à prova de balas quando, na madrugada do dia 4, começou a disparar em frente a um bar em Dayton, cidade de 170 mil habitantes no sudoeste do estado de Ohio, no centro-oeste dos EUA.

Em entrevista coletiva, Harshbarger explicou que, além do entorpecente e do álcool, no corpo foi identificado um remédio usado para tratar transtornos de ansiedade e pânico.

Mortes

As investigações indicaram que outras duas pessoas foram atingidas por tiros da polícia, que tentava abater o atirador. Uma delas morreu, embora o legista afirme que a causa foi um disparo anterior de Betts.

Segundo o médico legista, todos os mortos "sofreram ferimentos de bala ou ferimentos mortais pela arma" do atirador. O chefe da polícia de Dayton, Richard Biehl, lamentou o ocorrido com algumas das vítimas.

"Lamentamos muito que a nossa resposta tenha causado danos a estas vítimas, nos consola que nenhum de nossos disparos tenha causado a morte de uma dessas pessoas inocentes", declarou Biehl, de acordo com a conta da polícia de Dayton no Twitter.

Betts carecia de antecedentes criminais só havia sido multado por excesso de velocidade. No entanto, em entrevistas à imprensa local, pessoas que estudaram com ele o classificaram como uma pessoa conflituosa.

Esses ex-colegas disseram que Betts já foi punido enquanto estudava por ter elaborado duas listas: uma com as pessoas que queria matar e outra com as meninas às que queria estuprar.

O ataque em Dayton ocorreu horas após um homem de 21 anos abrir fogo e causar 22 mortes em um shopping em El Paso, cidade do Texas que faz fronteira com o México. EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.