Reprodução/MySpace
Reprodução/MySpace

Atirador de Orlando criticava 'modos imundos do Ocidente' em rede social

Omar Mateen culpou governo americano por mortes de 'mulheres e crianças inocentes' em conflitos no Oriente Médio

O Estado de S. Paulo

16 Junho 2016 | 11h37

Omar S. Mateen, o homem que invadiu uma boate gay em Orlando no final de semana e matou a tiros 49 pessoas, teria feito uma série de comentários no Facebook atacando "os modos imundos do Ocidente" e culpando os Estados Unidos pelas mortes de "mulheres e crianças inocentes", de acordo com uma investigação feita por uma comissão do Senado, divulgada esta quarta-feira.

Segundo o documento, ele teria comentado em seu perfil na rede social: "América e Rússia, parem de bombardear o (grupo extremista) Estado Islâmico".

A comissão do Senado enviou o documento ao Facebook, pedindo que a companhia produzisse informações sobre a atividade online de Mateen.

De acordo com uma pessoa próxima ao assunto, o atirador publicou comentários momentos antes de o ataque começar.

"Os muçulmanos verdadeiros nunca irão aceitar os modos imundos do Ocidente", escreveu Mateen, de acordo com o documento produzido pela comissão chefiada pelo senador republicano Ron Johnson. Ele não explicou como obteve essas informações, mas disse apenas que o rapaz de 29 anos operava 5 contas diferentes no Facebook.

Apesar de Mateen ter jurado lealdade ao grupo extremista, o governo Obama diz não ter encontrado evidências de que o ataque à boate Pulse foi orquestrada pelo grupo extremista. /AP

Mais conteúdo sobre:
OrlandoOmar Mateenatirador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.