Manish Swarup/AP
Manish Swarup/AP

Atirador de templo religioso nos EUA era veterano do Exército

Wade Michael Page, de 40 anos, teria sido adepto da 'supremacia branca'; ele foi morto pela polícia

estadão.com.br,

06 de agosto de 2012 | 09h38

Texto atualizado às 10h45

OAK CREEK, WISCONSIN - Wade Michael Pageque, de 40 anos, que matou seis pessoas e feriu outras três no templo sikh de Oak Creek, no Estado de Wisconsin, na manhã de domingo, 5, era um veterano do Exército e pode ter sido um supremacista branco, segundo uma fonte envolvida na investigação.

Veja também:

linkPremiê da Índia condena massacre em templo sikh dos EUA

linkTiroteio em templo religioso nos EUA deixa ao menos 7 mortos

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Segundo informações da CNN, o FBI disse que não desvendou as razões que levaram o homem a atirar. Investigadores tentam descobrir se o ataque pode ser classificado como terrorismo doméstico.

Veja mapa:

Um representante do templo, Kanwardeep Singh Kaleka, disse que as vítimas que presenciaram o ataque descreveram o atirador como um homem calvo, branco, vestido com uma camiseta branca e calça preta, com uma tatuagem relacionada ao 11 de setembro em um dos braços, o que sugere um crime de ódio.

Ataque

O ataque aconteceu na manhã de domingo, 5, quando fiéis sikhs estavam reunidos no templo em preparação para a cerimônia marcada para uma hora depois e da refeição que se seguiria.

Wade Michael Pageque teria matado um dos líderes espirituais e outras duas pessoas do lado de fora do tempo. Dentro do edifício, atingiu fatalmente outras quatro pessoas. Ele foi morto por policiais após o ataque.

Com agências de notícias

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.