Pima County Sheriff's Dept/AP
Pima County Sheriff's Dept/AP

Atirador de Tucson é indiciado por tentativas de assassinato

Jared Lee Loughner baleou deputada Gabrielle Giffords e mais 17 pessoas em evento político

Efe,

20 de janeiro de 2011 | 03h28

WASHINGTON - Um júri federal no Arizona emitiu nesta quarta-feira, 18, uma acusação formal contra Jared Lee Loughner pelo tiroteio de 8 de janeiro, quando seis pessoas morreram e outras 13 ficaram feridas, entre elas a deputada democrata Gabrielle Giffords.

 

As três acusações formais contra Loughner, de 22 anos, são por tentar matar Gabrielle e dois de seus assistentes, informou em comunicado o procurador Dennis Burke em Phoenix (Arizona).

 

"Estamos nas primeiras etapas desta investigação em curso", disse Burke em comunicado no qual ressaltou que "as acusações de hoje são só o começo" da ação legal.

 

"Estamos trabalhando incansavelmente para assegurar que nossa investigação seja exaustiva e que se faça justiça com as vítimas e suas famílias", acrescentou.

 

O tiroteio aconteceu quando a congressista participava de um ato público em um supermercado na localidade de Tucson, no Arizona.

 

No ataque morreram seis pessoas, incluindo o juiz federal John Roll e uma menina de nove anos.

Gabrielle sobreviveu a um disparo na cabeça e se recupera dos graves ferimentos causados pela bala, que atravessou o lado esquerdo do seu cérebro.

 

A deputada respondeu de forma positiva a uma operação no olho, já respira sem a ajuda de aparelhos e é capaz de reconhecer o marido, o astronauta Mark Kelly, segundo informações do próprio.

 

A previsão é que Gabrielle seja transferida na sexta-feira, 21, a um centro de reabilitação em Houston, no Texas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.