Atirador de Washington pode ser da Al Qaeda

O FBI (polícia federal americana) está interrogando, segundo fontes de serviços de inteligência europeus, um suposto militante da Al Qaeda, preso na Bélgica, para tentar encontrar vínculos entre a rede de Bin Laden e o franco-atirador que já matou 9 pessoas e feriu duas em Washington. Nizar Trabelsi - o suposto terrorista - diz ter visto franco-atiradores da Al Qaeda em treinamento para agir nos EUA. Uma equipe de agentes escalados para o caso investigam, em Washington, a descoberta, ontem, de uma caminhonete branca, com cartuchos de bala, e que poderia ter sido utilizada pelo assassino. A última vítima do franco-atirador - que vem agindo desde o dia 2 - foi a investigadora do FBI, Linda Franklin, morta no estacionamento de um shopping center do centro de Washington. O fato fez o governo redobrar o número de policiais nas investigações e utilizar aviões militares para caçar o assassino, cujo espectro está aterrorizando a capital federal americana. Leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.