Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Chet Strange/Getty Images/AFP
Testemunhas descreveram uma cena caótica, com clientes correndo para as saídas depois que os tiros foram disparados. Chet Strange/Getty Images/AFP

Atirador deixa ao menos 10 mortos e vários feridos em supermercado nos EUA

Um homem suspeito está sob custódia, mas ainda não há informações sobre a motivação; policial está entre as vítimas

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2021 | 22h36
Atualizado 23 de março de 2021 | 08h01

BOULDER, EUA - Um homem abriu fogo contra clientes de uma mercearia em Boulder, Colorado, nesta segunda-feira, 22, deixando ao menos dez mortos – entre eles, o policial Eric Talley, de 51 anos, o primeiro a chegar ao local – e vários outros feridos. Um suspeito está sob custódia, mas ainda não há informações sobre a motivação do crime.

Dezenas de veículos policiais ocuparam as ruas ao redor da loja, enquanto os agentes tentavam deter o atirador, que ficou ferido durante a ação. Vídeos exibiram o homem, algemado e com uma perna ensanguentada, mancando enquanto caminhava.

Testemunhas descreveram uma cena caótica, com clientes correndo para as saídas depois que os tiros foram disparados. Uma pessoa disse o jornal The Denver Post que o atirador não falou nada - "ele apenas entrou e começou a atirar".

Imagens gravadas por uma testemunha mostraram pelo menos duas pessoas feridas e móveis no chão do lado de fora do mercado e uma terceira entre as portas da frente.

As autoridades do Departamento de Polícia de Boulder não confirmaram quantos agressores estavam envolvidos ou quantas pessoas ficaram feridas.

Pouco depois das 17h (20h, horário de Brasília), a corporação informou que estava respondendo a outro chamado envolvendo um "indivíduo armado e perigoso". Não ficou claro se a atividade policial no segundo local estava relacionada ao ataque no supermercado.

Funcionários do governo também se manifestaram sobre o ataque. "Meu coração está partido enquanto observamos este evento indescritível se desenrolar em nossa comunidade de Boulder", disse o governador do Colorado, Jared Polis, em um comunicado por escrito. "Estamos disponibilizando todos os recursos de segurança pública."

O deputado Joe Neguse enviou suas orações para a comunidade de Boulder, socorristas e agentes da lei que responderam ao "terrível incidente", escreveu no Twitter.

Um homem disse ao 9 News que seus netos estavam na loja durante o ataque. Eles se esconderam no armário enquanto o incidente se desenrolava.

Daniel Douglas estava na loja, comprando comida e flores para sua namorada quando os tiros começaram. "Ninguém sabia o que estava acontecendo, então começamos a gritar: 'Deite no chão'", contou à Fox 31 Denver.

Em algum momento, disse ele, o atirador deslocou-se para a frente da loja, enquanto Douglas e outros clientes correram para a parte de trás do prédio, onde muitos outros se escondiam e tentavam escapar. Segundo o rapaz, um colega de trabalho chutou a porta de saída de emergência para que as pessoas pudessem sair. "Muitas pessoas ficaram petrificadas. Muitas pessoas choraram."

Ryan Borowski, outro sobrevivente, expressou choque com o ataque. "Boulder parece uma bolha e essa bolha estourou", disse à CNN na noite de segunda-feira. "Parece que nenhum lugar é seguro." Ele contou que estava dentro do supermercado comprando um saco de batatas fritas e um refrigerante quando os tiros começaram.

O ataque marcou o segundo tiroteio em massa nos Estados Unidos em uma semana. No último dia 16, oito pessoas foram baleadas e mortas - incluindo seis mulheres asiáticas - em episódios registrados em três locais diferentes - uma casa de massagem e dois spas - em dois condados do Estado americano da Geórgia. Um suspeito, identificado como Robert Aaron Long, de 21 anos, foi detido.

A região registrou ao menos nove tiroteios em escola desde o massacre de Columbine em 1999, que deixou 12 alunos e um professor mortos. /WP Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Policial morto em ataque a tiros tinha sete filhos e queria mudar de emprego

Eric Talley, de 51 anos, foi o primeiro policial a chegar no supermercado onde ocorreu o ataque no Colorado; atuação do policial foi considerada 'heroica' pelo chefe de polícia

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2021 | 07h30

Eric Talley, de 51 anos, estava a procura de um novo emprego. Pai de sete filhos, o americano queria preservar a família do perigo inerente a sua função. Primeiro a chegar ao supermercado alvo de um ataque a tiros no Colorado, o policial acabou sendo uma das dez vítimas que perderam a vida no local.

Na noite de segunda-feira, 22, um homem abriu fogo contra clientes de um supermercado na cidade de Boulder. Pelo menos dez pessoas - entre eles, Talley - morreram e várias ficaram feridas. Um suspeito foi preso, mas a polícia ainda tenta definir a motivação do crime.

A atuação de Talley durante o ataque foi definida como "heroica" pelo chefe da polícia local, Maris Herold. 

"Ele tinha sete filhos. O mais novo tem sete anos de idade. Ele amava as crianças e a família mais que tudo", contou à imprensa o pai de Eric, Homer Talley.

De acordo Homer, seu filho havia entrado na corporação há cerca de uma década, mas vinha procurando uma nova posição. "Ele estava procurando um emprego para se manter fora da linha-de-frente e estava aprendendo a operar drones. Ele não queria deixar a família em uma situação como esta", disse.

Em meio ao luto, um homem chamado Jeremy Herko, que disse que conheceu Talley na academia, o descreveu como um de seus melhores amigos. "Ele era um cristão devoto, teve que comprar uma van de 15 passageiros para transportar todos os seus filhos e era o cara mais legal do mundo", escreveu Herko em um post no Facebook.

O Departamento de Polícia de Boulder tuitou uma foto de Talley de uniforme. "Descanse em paz, oficial Eric Talley. Seu serviço nunca será esquecido", disse o departamento.

Talley foi destaque em um artigo de 2013 como um dos três policiais que ajudaram a salvar patos presos em uma vala de drenagem.cEle entrou em águas profundas para resgatar os patos dos canos, de acordo com o artigo do jornal Boulder Daily Camera.

A mesma publicação aponta que Talley é a sexta pessoa morta em serviço na história do Departamento de Polícia de Boulder e o primeiro oficial morto em serviço desde 1994.

"Ele era, segundo todos os relatos, um dos oficiais mais destacados do Departamento de Polícia de Boulder e sua vida foi interrompida muito rapidamente", disse Michael Dougherty, o promotor distrital do condado.

O derramamento de sangue em Boulder marcou o segundo tiroteio em massa mortal nos EUA em uma semana, após a violência armada na semana passada que deixou oito pessoas mortas na área de Atlanta. Um homem de 21 anos foi acusado dessas mortes./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

De Columbine a Boulder: Colorado tem uma longa história de ataques a tiros

Desde os eventos em Columbine, em 1999, pelo menos outros sete ataques graves - contando o desta segunda-feira - ocorreram no Estado do Oeste americano

Patrick J. Lyons, The New York Times

23 de março de 2021 | 07h59

Palco de um novo ataque a tiros nesta segunda-feira, 22, o Colorado, no Oeste dos Estados Unidos, tem sido alvo frequente de eventos catastróficos com armas de fogo. Desde os eventos em Columbine, em 1999, pelo menos sete ataques graves - contando com o de segunda - ocorreram no Estado.

Na noite de segunda-feira, 22, um homem abriu fogo contra clientes de um supermercado na cidade de Boulder. Pelo menos dez pessoas - entre eles, o policial Eric Talley, de 51 anos - morreram e outras várias ficaram feridas. Um suspeito foi ferido na perna e preso. A motivação do crime permanece sob investigação.

Relembre o histórico dos ataques a tiros no Colorado

7 de maio de 2019 - Dois alunos entram em uma escola em Highlands Ranch, um subúrbio de Denver perto de Littleton, e atiram em outros alunos em dois locais. Um estudante que tenta atacar um dos atiradores é morto a tiros e outros oito são feridos. Os dois agressores são capturados.

31 de dezembro de 2017 - Um xerife que se trancou em um apartamento em Highlands Ranch se envolve em um tiroteio com policiais respondendo a relatos de um distúrbio. Um policial é morto e quatro são feridos antes de a polícia matar o atirador. Dois civis ficam feridos.

27 de novembro de 2015 - Um homem armado com um rifle de assalto entra em uma clínica de Paternidade Planejada em Colorado Springs e abre fogo, matando dois civis e um policial que o confronta; nove outras pessoas são feridas em um cerco de 5 horas antes de o atirador se render.

31 de outubro de 2015 - Um homem carregando um rifle semiautomático atira e mata três pessoas, aparentemente ao acaso, em uma rua residencial perto do centro de Colorado Springs, antes de entrar em confronto com a polícia e ser morto a tiros.

20 de julho de 2012 - Um homem caminha para a frente de um cinema lotado em Aurora durante uma exibição à meia-noite de um filme do Batman, lança granadas de gás lacrimogêneo e abre fogo contra o público, matando 12 pessoas e ferindo 58 com tiros. Outros 12 ficaram feridos no pânico que se seguiu. O atirador é preso no estacionamento do teatro.

20 de abril de 1999 - Eric Harris e Dylan Klebold, dois estudantes de Columbine, entram no colégio armados e matam a tiros 12 estudantes e 1 professor, antes de se suicidarem. Columbine permaneceu como o mais mortífero ataque com arma de fogo a uma escola dos EUA até 2018, quando 17 pessoas foram mortas na escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland, na Flórida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.