Atirador deixa oito mortos na Virginia

Foi o pior caso de violência desde 2007, quando um estudante matou 32 pessoas na universidade

Agências internacionais,

19 de janeiro de 2010 | 21h18

A polícia estadual da Virgínia (EUA), informou que nesta terça-feira, 19, um homem matou a tiro oito pessoas em uma briga de família aparente na Virgínia, em que o governador, Robert McDonnel, descreve como "uma horrível tragédia".

A porta-voz da polícia estadual, Corinne Geller, diz que mais de cem policiais participaram da caçada ao suposto atirador numa área florestal perto do subúrbio de Appomattox.

A polícia disse que a violência começou logo após o meio dia desta terça-feira, quando um homem ferido foi encontrado num trecho rural de uma rodovia.

Além disso, policiais citados pela imprensa local disseram que os corpos de sete pessoas foram encontradas em uma casa e a oitava vítima morreu a caminho do hospital.

Este foi o pior caso de violência desde que um estudante vietnamita matou 32 pessoas e cometeu suicídio na Virginia Tech College, em 2007.

De acordo com Samuel Carter, vice-presidente do Conselho de Supervisores de Appomattox, que falou ao jornal The Washington Post, que um homem, aparentemente, matou sua esposa e filho durante uma disputa familiar.

Carter adicionou à publicação que o incidente matou um adolescente e outra pessoa. O jornal publicou que Carter falou sobre o incidente perante as autoridades que oito mortes estão confirmadas.

O porta-voz da polícia do Estado, Tom Molnar, contou aos jornalistas que o incidente começou quando um policial descobriu a presença de um cadáver que estava ao lado de uma estrada por meio de uma chamada de emergência. Quando o policial chegou ao local, foram ouvidos tiros.

Molnar se negou a dar mais detalhes para não prejudicar a investigação.

Tudo o que sabemos sobre:
EuaViolênciaAtirador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.