Atirador fere 20 e é morto em Jerusalém

Um palestino identificado como Saeed Ramadan, militante do grupo Brigadas Al Aqsa, disparou um fuzil automático contra uma fila de pessoas que esperavam ônibus no centro de Jerusalém, deixando 20 feridos. Ele foi morto em seguida pela polícia israelense. Fontes palestinas indicaram que o atirador é sobrinho de Adnan Ramadan, prefeito da aldeia palestina de Tel, na Cisjordânia. "Estamos testemunhando uma campanha contínua e sem fim de terror contra civis israelenses, perpetrada por diferentes organizações terroristas palestinas abrigadas pela Autoridade Palestina", afirmou o porta-voz do governo de Israel, Avi Pazner. Uma fonte das Brigadas Al Aqsa disse que o ataque de hoje foi uma retaliação pelo assassinato, atribuído a Israel, de um líder da organização, ocorrido ontem na cidade de Tulkarem, na Cisjordânia. Horas antes do ataque, tropas israelenses mataram quatro integrantes da organizção palestina Hamas em Nablus, também na Cisjordânia.

Agencia Estado,

22 Janeiro 2002 | 15h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.