Atirador forçou entrada em escola nos EUA, diz polícia

O acusado de matar 26 pessoas, entre elas 20 crianças, dentro de uma escola de ensino fundamental em Newtown, no Estado americano de Connecticut, forçou sua entrada no local, de acordo com a polícia. O suspeito Adam Lanza, de 20 anos, aparentemente rompeu divisórias de vidro ao lado da porta da frente da escola de ensino fundamental Sandy Hook para ter acesso ao interior do prédio.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

15 de dezembro de 2012 | 17h04

"Ninguém voluntariamente deixou ele entrar na escola", disse neste sábado Paul Vance, da polícia de Connecticut, recusando-se a responder questões sobre como exatamente Lanza rompeu as divisórias. "Ele forçou sua entrada na escola."

Esse detalhe ajudou a solucionar uma das muitas perguntas ainda sem resposta sobre o massacre ocorrido na sexta-feira, o segundo pior tiroteio em escola na história dos EUA: como um jovem armado pesadamente foi capaz de atravessar as portas de segurança do local. "Não foi permitida a entrada dele", afirmou Vance.

"Parece que ele quebrou os vidros ao lado das portas para entrar no prédio", disse George Sinko da polícia de Newtown. "Isso é uma das coisas que ainda estamos analisando." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaatiradorescolaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.