Atirador mata pelo menos oito em escola da Finlândia

Diretora da instituição está entre as vítimas; estudante teria colocado vídeo no YouTube sobre massacre

Agências internacionais,

07 de novembro de 2007 | 10h18

Pelo menos oito pessoas morreram após um tiroteio dentro de uma escola em Tuusula, no sul da Finlândia, nesta quarta-feira, 7, afirmou uma autoridade local. Entre os mortos está o diretor do colégio.   Veja também:Suposto atirador queria fazer seleção natural Vídeo do suposto atirador  Veja as imagens    O assassino deu um tiro na própria cabeça, mas sobreviveu e foi levado a um hospital. Segundo o porta-voz da polícia, Tero Haapala, seu estado de saúde é gravíssimo.   A informação sobre o número de feridos é incerta. Segundo as agências de notícias, até 12 pessoas foram atingidas pelos disparos. Um dos mortos foi a diretora da escola, segundo Tuula Panula, porta-voz do município de Tuusula, que fica a cerca de 60 quilômetros da capital.   Em entrevista coletiva, o chefe de polícia Matti Tohkanen confirmou que entre os mortos estão cinco garotos, duas meninas e uma mulher, que seria a responsável pela instituição.   Segundo a CNN, o atirador é Pekka-Eric Auvinen, um estudante de 18 anos que invadiu o colégio. De acordo com o diretor do serviço de saúde de Tuusula, Eero Hirvensalo, o estudante teria se refugiado no prédio da escola antes de tentar cometer suicídio.    Oficiais informaram que o rapaz disparou também contra os agentes que tentaram entrar na escola. Um professor no local disse à Reuters que o atirador era aluno do colégio   Um porta-voz da Prefeitura de Tuusula disse que o estudante atirou com uma pistola em pelo menos quatro pessoas no meio de uma classe, provocando pânico. Alguns dos estudantes fugiram pelas janelas, segundo as mesmas fontes.   A CNN diz ainda que um vídeo foi postado no YouTube há algumas semanas com o título 'Jokela High School Massacre - 11/7/2007'.  As imagens foram colocadas por um usuário chamado Sturmgeist89. Sturmgeist significa espírito da tempestade em alemão.    O vídeo mostra uma foto de uma escola que parece ser o Colégio Jokela, onde o tiroteio ocorreu. Depois a foto se fragmenta para revelar uma fotografia em vermelho de um homem apontando uma arma para a câmera.   Apesar de a Finlândia ter a terceira maior proporção de armas de fogo per capita do mundo, incidentes violentos são raros em escolas finlandesas.   Matéria ampliada às 18h06

Tudo o que sabemos sobre:
TiroteioFinlândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.