Arte/Estadão
Arte/Estadão

Atirador que matou três em base nos EUA tinha problemas psicológicos

Autoridades militaresdizem que veterano do Iraque tinha estresse pós-traumático

O Estado de S. Paulo,

03 de abril de 2014 | 08h37

FORT HOOD, TEXAS -O atirador que abriu fogo na base militar americana de Fort Hood, no Texas, e matou ao menos 3 pessoas e feriu outras 16 tinha problemas psicológicos e sofria de estresse pós-traumático, informaram fontes militares e policiais nesta quinta-feira, 3. Detalhes do ataque ainda permanecem obscuros, mas fontes do governo americano descartaram a hipótese de um ataque terrorista.

O responsável pelo ataque foi identificado como Ivan López, de 34 anos. Segundo o comandante da base de Fort Hood, o general Mark Milley, o suspeito serviu por quatro meses no Iraque em 2011.

"Ele tinha problemas psicológicos e de comportamento", disse  general. "Estamos vasculhando a fundo seus antecedentes."

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse ter ficado "com o coração partido" ao ser avisado sobre o incidente na base de Fort Hood. "Nós vamos chegar ao fundo do que exatamente aconteceu", disse Obama. "Estamos com o coração partido que algo como isso possa ter acontecido de novo."

O tiroteio de ontem foi o terceiro grande ataque armado a uma base americana nos últimos cinco anos e o segundo em Fort Hood. Em 2009, o militar  Nidal Malik Hasan matou 13 pessoas ao abrir fogo contra colegas na base.

Antes de atirar, o major gritou "Allahu Akbar", expressão em árabe que significa "Deus é maior",  e depois disse que queria se tornar um mártir. Ele foi condenado à pena de morte e aguarda uma injeção letal.

No ano passado, houve um tiroteio num quartel da Marinha em Washington que deixou 12 mortos. /WASHINGTON POST

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Fort HoodEUA

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.