Atirador se mata após abrir fogo em shopping de New Jersey

Atirador se mata após abrir fogo em shopping de New Jersey

Ataque assustou frequentadores do centro comercial, mas não deixou feridos, segundo a polícia

O Estado de S. Paulo,

05 de novembro de 2013 | 11h27

NOVA YORK - Um homem abriu fogo dentro de um shopping center lotado em New Jersey na segunda-feira à noite e se matou em seguida, provocando a retirada em massa de pessoas do complexo comercial pela polícia, que não se deu conta que o agressor estava morto há horas.

O homem atirou pelo menos seis vezes aleatoriamente com um fuzil modificado e sem acertar ninguém, antes de virar a arma contra si mesmo em uma área nos fundos do centro comercial, disse o procurador do condado de Bergen, John Molinelli, em coletiva de imprensa nesta terça-feira.

Autoridades identificaram o homem morto como Richard Shoop, de 20 anos, e disseram que ele tinha histórico de uso de drogas. Policiais encontraram o corpo no Westfield Garden State Plaza, em Paramus, por volta das 3h20 (6h20 no horário de Brasília).

Antes, a polícia retirou milhares de pessoas do centro comercial e deu início a uma caçada humana pelo atirador após receber os primeiros relatos por volta das 21h (horário local), informou o chefe de pessoal do condado de Bergen, Jeanne Baratta.

Najee Waters, de 19 anos, trabalhava como vendedor de roupas na loja H&M quando ouviu o que pareciam ser dois tiros.

"Foi frenético. Caos absoluto", disse Water, que seguiu um plano de emergência e correu para uma sala de descanso nos fundos da loja, onde dezenas de funcionários se reuniram antes de sair para o estacionamento. Cerca de 25 clientes se encontravam na loja no momento.

A CNN, citando testemunhas, informou que o atirador havia disparado contra as câmeras de segurança. O Garden State Plaza, de propriedade do australiano Westfield Group, é um dos cinco grandes shoppings em Paramus, conhecido destino de compras na área metropolitana de Nova York. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.