Jason Davis/Getty Images/AFP
Jason Davis/Getty Images/AFP

Homem seminu abre fogo em restaurante no Tennessee e mata 4

De acordo com a polícia, há mandados de prisão por assassinato contra Travis Reinking, de 29 anos, identificado como o suspeito de ter cometido o ataque; ele é considerado possivelmente armado e extremamente perigoso

O Estado de S.Paulo

22 Abril 2018 | 10h32
Atualizado 23 Abril 2018 | 13h35

NASHVILLE, EUA - Um homem seminu abriu fogo na madrugada deste domingo, 22, em um restaurante da rede Waffle House nos arredores de Nashville, no Estado do Tennessee, EUA, deixando quatro mortos e dois feridos, informou a polícia.

+ Professor de Parkland é processado por esquecer arma em banheiro público

+ Vegana descontente por não receber por vídeos atacou sede do YouTube

O Departamento de Polícia Metropolitana de Nashville disse em um comunicado que o ataque aconteceu em um restaurante de Antioch, subúrbio ao sudeste da cidade, às 3h25 (locais). 

+ Em marcha, jovens pedem revolução pelo voto contra armas nos EUA

+ Estudantes dos EUA se mobilizam em mais de 800 cidades em marcha contra armas

Três vítimas morreram no local e uma quarta no hospital, de acordo com a polícia, acrescentando que os dois feridos estão internados em estado grave. "Um cliente conseguiu tirar o fuzil do agressor. Estava nu e fugiu a pé. Trata-se de um homem branco com cabelo curto", informou o texto.

A polícia, que havia afirmado duas vezes que o atirador estava nu, mais tarde disse no Twitter que ele havia tirado o casaco e foi visto pela última vez vestindo apenas calças pretas, mas sem camisa. O suspeito é considerado possivelmente armado e extremamente perigoso.

Policiais disseram que "mandados de prisão por assassinato estão sendo elaborados contra Travis Reinking", um homem de 29 anos de Morton, Illinois, identificado como o suspeito de ter cometido o ataque. 

Autoridades afirmaram que o suspeito chegou em um veículo registrado no nome de Reinking. Os veículos de imprensa locais informaram que os agentes indicaram que o agressor estava armado com um fuzil de assalto AR-15, uma arma utilizada com frequência nos ataques a tiros nos EUA, onde há um debate para aumentar os controles de acesso às armas de fogo. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.