Atirador suicidou-se após chacina de sikhs

Investigação de massacre que deixou 7 mortos nos EUA conclui que Wade Page disparou contra a cabeça ao ser ferido

MILWAUKEE, EUA, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2012 | 07h42

Wade Michael Page, o ex-militar americano que no domingo assassinou a tiros sete pessoas em um templo sikh de Oak Creek, Wisconsin, morreu em virtude de um disparo contra a própria cabeça, afirmaram ontem as autoridades que investigam o caso. Anteriormente, a versão oficial era a de que o neonazista tinha sido morto pela polícia.

De acordo com a agente especial do FBI Teresa Carlson, Page atirou contra a própria cabeça após ser atingido no abdome por um projétil disparado por um policial da cidade. Pouco após a morte do atirador, a polícia de Oak Creek afirmou que ele tinha sido morto por seguir disparando contra os fiéis do templo sikh e um policial ferido na ação.

Segundo a agente do FBI, as autoridades ainda não descobriram a motivação do matador para praticar o massacre. Autoridades americanas afirmaram que uma ex-namorada de Page, identificada como Misty Cook, de 31 anos, foi presa na noite de terça-feira, quando uma arma de fogo foi encontrada em sua casa. A polícia descartou a hipótese de sua possível participação na matança no templo sikh. Segundo a investigação, Page usou uma pistola calibre 9 milímetros para matar suas vítimas.

Condolências. O presidente americano, Barack Obama, telefonou ontem para o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, que pertence à comunidade sikh de seu país, para expressar suas condolências. Ambos ressaltaram a importância da liberdade religiosa durante a conversa. / NYT e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.