Atirador tem 30 anos e serviu 3 vezes no Iraque

O sargento do Exército americano que executou 16 civis afegãos, cujo nome é mantido em sigilo pelo Pentágono, tem 30 anos e já serviu três vezes na Guerra do Iraque. Essa era sua primeira passagem pelo Afeganistão, onde atuava no grupo de proteção aos membros das Forças Especiais.

O Estado de S.Paulo

13 de março de 2012 | 03h01

"Acreditamos que ele era um soldado solitário que se envolvera em missões profundamente trágicas", afirmou porta-voz do Pentágono, George Little. "Esse é um incidente isolado e nós vamos buscar a punição para as ações desse soldado."

O Pentágono rejeitou o apelo de parlamentares afegãos para julgá-lo no país e afirmou que esperará o fim das investigações para processá-lo. Em 2005, 7 dos responsáveis pelo massacre de 24 civis em Haditha, no Iraque, foram inocentados e 8, condenados a 90 dias de prisão.

A corte marcial americana prevê a pena capital, mas a ordem de execução de militares tem de ser assinada pelo presidente. O país não é signatário do Tribunal Penal Internacional, o que impede que seus militares sejam processados no exterior. / D.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.