Atirador teria destruído disco rígido de seu computador

Investigadores do massacre da escola de Newtown, no Estado de Connecticut, afirmaram ontem à imprensa americana que o disco rígido do computador de Adam Lanza, autor da chacina, foi destruído. Sem o HD, será mais difícil para a polícia entender a motivação de Lanza para cometer o massacre.

GUSTAVO CHACRA , CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2012 | 02h02

O assassino, que se matou na própria escola, não deixou rastros em redes sociais, nem mesmo bilhetes ou outras evidências físicas. A ausência dessas pistas tem travado a investigação, admitem policiais.

Segundo uma fonte citada em condição de anonimato na imprensa, o disco rígido foi removido do computador de Lanza e quebrado em pedaços. Ainda assim, o FBI (polícia federal dos EUA) tentará buscar informações do que restou. Outros relatos também não confirmados indicam que Lanza utilizava o computador especialmente para jogos de guerra.

Segundo uma autoridade da área de segurança citada pelo blog Daily Beast, a decisão de Lanza destruir o computador indica que o HD, provavelmente, "tivesse informações que o comprometesse". "Ele sabia o que estava fazendo. Foi uma ação planejada. Não há dúvida sobre isso", disse a autoridade.

A rede de TV ABC, também citando fontes não identificadas, afirmou que Lanza teria usado um martelo para destruir o HD de seu computador.

Asperger. No dia 14, quando cometeu o ataque, Lanza assassinou primeiro a sua mãe, Nancy, em casa, antes de seguir para a escola. Ao chegar ao local, matou 20 crianças com idades entre 6 e 7 anos, além de professores, diretora e outros funcionários.

Os investigadores estão tomando cuidado especial com as informações de que Lanza teria Síndrome de Asperger, um tipo de autismo que não acarreta retardo e cuja causa é desconhecida pelos médicos. Teme-se que pessoas que sofram dessa doença acabem estigmatizadas em razão do massacre. Especialistas afirmam que não há nenhuma relação entre a síndrome e comportamentos violentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.