Atiradores aterrorizam tropas americanas

Além dos atentados a bomba, as tropas americanas no Iraque enfrentam agora a ação de atiradores de longa distância, os snipers, que já mataram dezenas de soldados.A rede de televisão CNN obteve um vídeo com dez ações desses militantes, gravadas por eles próprios, provavelmente para fazer propaganda. As cenas mostram soldados norte-americanos caminhando entre civis enquanto o atirador espera o momento exato do tiro.Quando o alvo é atingido, ouve-se a frase em árabe "Allahu Akbar", ou deus é grande, e imediatamente o carro com o atirador e o cinegrafista deixa o local.Normalmente, os tiros são precisos e atingem regiões não protegidas por capacetes. A rapidez dos ataques impedem que os autores sejam identificados.Um dos militantes, que os americanos apelidaram de Juba, ganhou notoriedade por divulgar seus ataques na internet. Por suas ações, passou a ser reconhecido pelo povo iraquiano como um herói de resistência à ocupação.A tática de usar atiradores de longa distância é também um dos instrumentos dos americanos para eliminar adversários. O sargento aposentado Jack Coughlin lançou recentemente um livro descrevendo suas experiências como sniper no Iraque.À CNN, Coughlin fez uma análise da ações mostrada no vídeo. Disse que os disparos foram feitos a grande distância e que e equipe é formada por no mínimo três pessoas. "São bem treinados, porque demonstram calma na hora de atirar", afirma.O Militar aposentado aponta o contra-ataque como a melhor forma de prevenir essas ações. "O pior inimigo de um sniper é outro sniper", completa.Nessa terça-feira, foram mortos 11 soldados norte-americanos, o que reforça a previsão de que outubro pode ser o mês mais sangrento para as tropas desde novembro de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.