Atiradores disparam contra escola islâmica e ferem uma menina

Atiradores abriram fogo hoje contra uma escola islâmica para meninas no leste do Paquistão, ferindo uma estudante e fazendo com que outras fugissem apavoradas. Nauree Sadiq, 12 anos, foi ferida por balas que atravessaram janelas da escola Jamia Mohammadia Binat-ul, em Lahore. A polícia afirmou que ela foi tratada num hospital da cidade e recebeu alta. Ninguém assumiu responsabilidade pelo ataque e a polícia não tinha pistas dos atiradores, que fugiram numa motocicleta. A escola islâmica, conhecida como madrassa, ensina o livro sagrado muçulmano, o Corão, para 300 meninas entre 4 e 14 anos, num dos bairros mais pobres de Lahore.Horas depois, dois homens numa motocicleta jogaram granadas contra um hospital cristão em Bannu, no noroeste do Paquistão, nas proximidades da fronteira com o Afeganistão. A região abriga tribos profundamente muçulmanas e conservadoras, que criticam a aliança do Paquistão com os Estados Unidos na guerra contra o terrorismo. O ataque foi condenado por líderes cristãos, já irritados com uma série de atentados contra seus fiéis. No mês passado, dois atiradores mataram sete cristãos que trabalhavam numa instituição de caridade na cidade sulista de Karachi.Líderes da minoria exigem um maior esforço do governo para proteger sua pequena comunidade no país predominantemente muçulmano e planejam realizar manifestanções em todo o Paquistão para criticar a forma como o governo está investigando o ataque em Karachi. "Essa série de ataques contra nós mostra que a máquina estatal não quebrou a rede de terroristas no Paquistão", disse Shehbaz Bhatti, um líder cristão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.