Atiradores matam 11 em TV iraquiana; 30 mortes no total

Pelo menos 30 pessoas morreram nesta quinta-feira, 12, no Iraque, entre elas o diretor de uma emissora de televisão, e outros 40 corpos foram encontrados nas últimas 24 horas, o que faz com que número de corpos achados desde segunda-feira chegue a 150.No episódio mais violento, um grupo de homens armados invadiu a sede de uma televisão via satélite recém-inaugurada e matou onze funcionários, entre eles o diretor do canal e três agentes de segurança.Um grupo de homens armados, todos vestidos com uniformes da Polícia especial do Ministério do Interior, chegou ao edifício do canal "Al Shaabiya", no leste da capital, por volta das 7h30 (1h30 de Brasília). Os invasores atiraram nos agentes de segurança do canal, matando três deles.Em seguida, invadiram o prédio rumo aos escritórios, onde mataram mais oito pessoas, entre elas o diretor do canal, identificado pelas fontes como Abdelrrahman. Outros três guardas ficaram feridos.Um duplo atentado cometido hoje contra um carro da Polícia no centro de Bagdá deixou ao menos cinco pessoas mortas e outras dez feridas, entre elas quatro policiais. O oficial Ali Hadi disse à EFE que uma bomba explodiu no momento em que um veículo das forças da ordem passava pela rua que une apraça Teerã com a de al-Jalani, no centro da capital. Segundo Hadi, no momento da explosão, muitas pessoas circulavam pelo local. Minutos depois, quando várias unidades de Polícia chegaram ao local, um carro-bomba que estava estacionado nas proximidades explodiu.Em outro episódio de violência, desta vez no bairro de al-Qahira, no norte de Bagdá, mais dois iraquianos morreram e oito ficaram feridos em decorrência da explosão de uma moto-bomba no momento da passagem de uma viatura da Polícia.Em Mossul, um grupo de desconhecidos assassinou um antigo oficial das forças aéreas iraquianas, o coronel sunita Mahmoud al-Mashadani, que foi morto em frente a sua casa.CorposComo se não bastassem os diversos atos de violência registrados na capital, a Polícia iraquiana encontrou 40 novos corpos na últimas 24 horas em diferentes bairros de Bagdá, aumentando para 150 o número de corpos achados desde segunda-feira. Segundo fontes do Ministério do Interior iraquiano, as vítimas tinham sinais de tortura, estavam com as mãos amarradas e tinhammarcas de tiros na cabeça.Os sucessivos planos de segurança, o estado de emergência e os toques de recolher impostos pelas autoridades não têm sido capazes de conter a escalada da violência sectária no Iraque, que já causou a morte de milhares de pessoas.A onda de seqüestros, torturas e assassinatos eclodiu após um atentado cometido em 22 de fevereiro contra um templo xiita em Samarra, a 120 quilômetros ao norte de Bagdá.O Exército americano anunciou a morte de um soldado na quarta-feira em um ataque da insurgência ocorrido em Kirkuk, a 250 quilômetros ao norte de Bagdá. Segundo um comunicado oficial, o ataque, que também deixou outrosdois militares americanos feridos, aconteceu enquanto os soldadosparticipavam de uma "operação de segurança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.