Chris Sweda/Chicago Tribune via AP
Chris Sweda/Chicago Tribune via AP

Homem abre fogo em restaurante e deixa 5 mortos em Chicago

Autoridades afirmam que crime foi retaliação entre gangues pelo assassinato de um homem de 37 anos na quarta-feira

O Estado de S.Paulo

31 de março de 2017 | 05h40

CHICAGO, EUA - A polícia de Chicago informou que cinco pessoas foram mortas, incluindo uma mulher grávida, em um restaurante depois que um homem armado abriu fogo pouco antes das 16h (locais) no estabelecimento, situado no sul da cidade.

As autoridades encontraram dois corpos no local. Um outro estava do lado de fora e o quarto foi localizado no quintal de uma casa vizinha, de acordo com informações oficiais.

Segundo policiais, outras duas pessoas foram mortas horas mais tarde, no mesmo bairro, após um indivíduo disparar de dentro de um carro quando passava pela região.

Dois dos mortos foram identificados pelo jornal local Chicago Tribune como Raheem e Dillon Jackson, irmãos de 19 anos, cuja mãe trabalhava no restaurante. A terceira vítima foi identificada como Emmanuel Stokes, de 28 anos. Na residência próxima ao local do crime foi encontrado o corpo de Patrice L. Calvin, de 26 anos, com um tiro na cabeça. Ela estava grávida de quatro meses.

De acordo com o Chicago Tribune, que cita fontes policiais, o crime foi uma retaliação entre gangues pelo assassinato de um homem de 37 anos na noite de quarta-feira 29. Na ocasião, quatro pessoas saíram de um veículo escuro e atiraram contra a vítima, na mesma região da cidade.

Uma das gangues envolvidas foi identificada como os Black P Stone Nation, considerada a mais poderosa da cidade.

Chicago é uma das cidades mais violentas dos EUA. Só em 2016 foram registrados 762 homicídios, o número mais alto desde 1996, quando houve 796 mortes.

Em janeiro, o presidente americano, Donald Trump, ameaçou intervir com forças federais na cidade, se isso for capaz de solucionar a questão da violência. / ASSOCIATED PRESS E EFE

Tudo o que sabemos sobre:
CHICAGOEstados UnidosBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.