Atiradores taleban atrasam ofensiva no Afeganistão

Após completar uma semana de operações, as tropas que participam da ampla ofensiva comandada pelos EUA e pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra o Taleban em Marjah, sul do Afeganistão, concentram seus esforços agora em combater a ameaça dos franco-atiradores insurgentes.

AE, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2010 | 08h25

Apesar de os comandantes aliados confirmarem avanços na luta contra os militantes do Taleban, a Otan reconheceu ontem que a ofensiva deve durar pelo menos um mês.

O general britânico Nick Carter, comandante das forças da Otan no sul do Afeganistão, afirmou que a retomada do controle de Marjah, onde ainda é encontrada muita resistência, deve ser concluída entre "25 e 30 dias". "Em três meses ou mais devemos ter uma ideia sobre se tivemos êxito (na operação)", disse o general.

Em um comunicado, a aliança explicou que os combates contra os insurgentes continuam, mas que ainda há muitos militantes que resistem. No entanto, a Otan considera a situação geral como "positiva".

Atiradores do Taleban surpreendentemente qualificados, juntamente com uma rede complexa de explosivos, têm atrasado o avanço dos militares na região. De acordo com comandantes, as tropas têm encontrado com mais frequência francoatiradores com treinamento superior aos vistos anteriormente. A explicação para a melhora da performance dos atiradores seria o maior tempo que os insurgentes tiveram para se preparar para a batalha, amplamente divulgada pelos aliados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoTalebanOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.