'Atirem para matar', diz ministra sul-africana à polícia

Representante do governo pede que policiais ignorem regulamentos em tentativa de conter índices de violência

REUTERS

10 de abril de 2008 | 10h26

A polícia sul-africana deve ignorar o regulamento e atirar para matar na batalha contra um dos mais altos índices de crimes violentos do mundo, disse uma ministra do governo. "Vocês devem matar os bastardos (criminosos) se eles ameaçarem vocês ou a comunidade. Vocês não precisam se preocupar com o regulamento", disse a vice-ministra da Segurança, Susan Shabangu. "Não quero tiros de alerta, vocês só têm um tiro e deve ser um tiro para matar", disse ela a oficiais de polícia, de acordo com o jornal Star nesta quinta-feira, 10. A África do Sul sofre com um dos maiores níveis de crimes violentos no mundo -assassinatos, sequestros e estupros são ocorrências diárias. As estatísticas policiais mostram que quase 20 mil pessoas são assassinadas por ano, incitando o público a ter raiva da falta de habilidade das autoridades para garantir a segurança. Shabangu disse em uma reunião anti-crime na capital, Pretória: "Quero garantir que os delegados, os policiais e as policiais dessas áreas tenham permissão para matar esses criminosos", disse ela. "Não vou tolerar quaisquer desculpas patéticas para não lidar com o crime, vocês receberam armas, agora usem. Se os criminosos ousarem ameaçar a polícia ou os meios de vida ou as vidas de homens, mulheres e crianças inocentes, então eles têm de ser mortos."

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.