Riccardo de Lucca/AP
Riccardo de Lucca/AP

Atitude de Obama na crise da Ucrânia é impopular nos EUA, diz pesquisa

Pesquisa mostra também que 54% desaprovam as suas relações com o governo da Rússia

O Estado de S. Paulo,

26 de março de 2014 | 19h25

WASHINGTON - A atitude de Barack Obama em relação à crise no Leste Europeu tem desagradado os norte-americanos. Uma pesquisa encomendada pela Associated Press ao instituto alemão GfK mostrou que 57% dos entrevistados são contrários a forma com que o presidente trata o impasse na Ucrânia e 54% desaprovam as suas relações com o governo da Rússia.

Apesar das más avaliações de desempenho, nove em cada dez norte-americanos apoiam as sanções econômicas contra empresários e políticos da Rússia por conta da anexação da Crimeia. Cerca de metade desse grupo diz que as sanções dos Estados Unidos até agora estão corretas, enquanto a outra metade quer vê-las fortalecidas.

A maioria dos democratas dizem que as sanções aplicadas até agora são adequadas, enquanto a maioria dos republicanos acha que as atitudes dos EUA são muito fracas.

Cerca de um terço dos entrevistados disseram que se opõem a dar ajuda monetária aos países que estão ou estavam sob a influência da Rússia. Apenas 20% aprovam o apoio financeiro, enquanto a maior parte é neutra. Nos últimos dias, Obama tem tentado aprovar no Congresso dos EUA um empréstimo de US$ 1 bilhão para a Ucrânia.

A pesquisa ouviu também a opinião dos norte-americanos sobre o trabalho do presidente. Barack Obama foi reprovado por 59% dos entrevistados, um recorde de rejeição desde que ele assumiu a presidência, em 2008.

Obama recebe notas mais baixas em temas como condução do orçamento federal, imigração e economia. As relações exteriores foram reprovadas por 40% dos entrevistados.

A pesquisa da AP-GfK foi realizada entre os dias 20 e 24 por meio de um painel online que representa a população dos EUA. A pesquisa ouviu 1.012 pessoas e tem uma margem de erro de 3,4 pontos porcentuais para mais ou para menos. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAUcrâniaObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.