Atividade das fábricas da China cai à mínima em 5 meses, mostra PMI oficial

A atividade das fábricas chinesas caiu inesperadamente à mínima em cinco meses em outubro, enfrentando desaceleração das encomendas e custos em alta na economia em arrefecimento, reforçando avaliações de que a perspectiva de crescimento do país é nebulosa.

REUTERS

01 Novembro 2014 | 09h24

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial da indústria caiu a 50,8 em outubro, ante 51,1 em setembro, informou a Agência Nacional de Estatísticas neste sábado, mas acima do marco de 50 pontos que separa o crescimento da contração mensal.

Analistas consultados pela Reuters previam leitura de 51,2.

Sublinhando os desafios à segunda maior economia do mundo, o PMI mostrou que a demanda externa e doméstica caiu ao menor nível em cinco e seis meses, respectivamente, com as encomendas internacionais recuando levemente em base mensal.

"Ainda há pressão para baixo sobre a economia e a política monetária continuará expansionista", disseram economistas do China International Capital em nota a clientes após a publicação dos dados.

(Reportagem de Koh Gui Qing)

Mais conteúdo sobre:
CHINAPMIINDUSTRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.