Ativista anti-imigração é condenada à morte por assassinato de mexicanos nos EUA

A americana Shawna Forde planejou o roubo de uma família mexicana para financiar seu grupo armado anti-imigração.

BBC Brasil, BBC

23 de fevereiro de 2011 | 11h15

Shawna Forde era parte de um grupo armado anti-imigração

Uma ativista anti- imigração do Estado do Arizona, nos Estados Unidos, foi condenada à pena de morte por assassinar dois membros de uma família de mexicanos, entre eles uma menina de 9 anos, em 2009.

Shawna Forde, de 43 anos, é a líder do grupo americano Minutemen American Defense, cujos membros armados patrulham a fronteira dos Estados Unidos com o México para deter imigrantes ilegais.

Ela organizou e participou da invasão da casa do mexicano Raul Flores, de 29 anos, para roubá-lo.

No entanto, o assalto deu errado e Flores foi morto com um tiro, assim como sua filha de 9 anos, Brisenia.

A mãe da menina, Gina Gonzales, também foi alvejada, mas sobreviveu e identificou os assaltantes.

Forde foi condenada por assassinato em primeiro grau, tentativa de assassinato e roubo.

`Justiceiros'

Durante o julgamento, o júri que condenou Forde ouviu que Brisenia Flores pediu que os assaltantes não atirassem nela, mas foi atingida com um tiro na cabeça.

Forde e dois homens vestidos de policiais invadiram a casa da família Flores em Arivaca, que fica 16 quilômetros ao norte da fronteira mexicana.

Aparentemente, a mulher acreditava que encontraria drogas no local, e planejava vendê-las para financiar seu grupo.

Shawna Forde criou um grupo de "justiceiros da fronteira", como se auto definem, depois de ser expulsa da organização Minutemen Civil Defense Corps, um grupo de voluntários que monitoram a fronteira para informar à Guarda da Fronteira americana sobre a entrada de imigrantes.

Albert Robert Gaxiola e Jason Eugene Bush, apontados como cúmplices no assassinato, devem ir a julgamento ainda este ano.

Segundo um correspondente da BBC, as mortes chocaram muitas pessoas no Arizona, apesar do forte sentimento anti-imigração que existe na região.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.