Ativista de direitos humanos chinês está desaparecido

O ativista de direitos humanos chinês, Zeng Jinyan, cuja esposa foi presa no início do ano, desapareceu na última quinta-feira (dia 7) e pode ter sido preso pela polícia da China para evitar que ele falasse com os jornalistas durante os Jogos Olímpicos de Pequim, disse o grupo de direitos humanos estrangeiro "Defensores dos Direitos Humanos Chineses". Zeng é casado com a ativista Hu Jia, que foi condenada a três anos e meio de prisão em abril deste ano. "Todas as tentativas de contactá-lo falharam. Tememos que Zeng tenha sido levado pela polícia e que possa ser maltratado", disse o grupo. "Com a abertura dos Jogos Olímpicos em Pequim, acredita-se que Zeng tenha sido levado para evitar que a prisão de Hu Jia seja comentada durante os jogos", relatou o grupo.Na capital da Índia, exilados tibetanos marcharam com pôsteres impressos por digitais em sangue em frente ao Parlamento indiano, gritando pela libertação do Tibet e pela "queda da China". Em Nova Déli, seis exilados tibetanos entraram em seu terceiro dia de greve de fome. As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.