Ativista de direitos humanos iraniana é libertada

Libertação ocorre um dia antes da viagem de Rohani para Assembleia-Geral da ONU nos EUA

O Estado de S. Paulo,

18 Setembro 2013 | 14h11

A ativista pelos direitos humanos iraniana Nasrin Sotoudeh, que defendeu dissidentes do regime persa como a Prêmio Nobel da Paz Shirin Ebadi, foi libertada nesta quarta-feira, 18, da prisão. A soltura foi confirmada por seu marido nas redes sociais. Entidades ligadas à oposição iraniana confirmaram também que outras sete presas políticas do regime foram libertadas hoje.

Nasrin estava presa desde setembro de 2010, acusada de fazer propaganda contra o regime do aiatolá Ali Khamenei. O presidente do Irã, Hassan Rohani, que assumiu o cargo no mês passado, prometeu durante a campanha eleitoral relaxar algumas restrições a direitos políticos e sociais no país. Parte de seu eleitorado, composto por iranianos reformistas, pediu a libertação de prisioneiros políticos.

No ano passado, Nasrin fez uma greve de fome de 50 dias em protesto contra o tratamento de sua filha mais nova, que foi proibida de deixar o Irã. À época, o governo americano fez duras críticas ao caso e pediu a libertação de Nasrin. A libertação de Nasrin ocorre um dia antes da viagem de Rohani para os EUA, onde participará da Assembleia-Geral da ONU. /REUTERS

Mais conteúdo sobre:
IrãShrin EbadiHassan Rohani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.