Ativista do Hamas escapa de atentado na capital da Síria

Um membro do grupo radical palestino Hamas sobreviveu à destruição de seu carro por uma bomba em Damasco. A detonação ocorreu pouco depois de o membro do grupo, cuja identidade não foi revelada, ter descido do veículo, juntamente com sua família. A explosão deixou três feridos e estilhaçou as janelas de prédios próximos. Diversas embaixadas e residências diplomáticas localizam-se no mesmo bairro, mas não há missões estrangeiras nas proximidades imediatas do local da explosão.O ministro do Interior sírio, Ghazi Kenaan, disse que a bomba foi colocada debaixo dos bancos do carro e explodiu minutos depois de o palestino, mulher e filha terem saído do veículo. "As partes por trás disso colaboram com o Mossad, ou são o próprio Mossad", afirmou, referindo-se ao serviço secreto israelense. Moussa Abu Marzouk, vice-líder do escritório político do Hamas, disse que o veículo destruído pertencia a um membro palestino do grupo, mas não deu o nome ou a patente da vítima dentro do movimento. Uma alta autoridade israelense disse desconhecer o ocorrido.Cerca de 450.000 refugiados palestinos vivem em território sírio. Grupos radicais e guerrilhas mantêm bases em Damasco. Em 26 de setembro, um alto representante do Hamas foi morto na explosão de uma bomba que destruiu seu carro no bairro de al-Zahraa, em Damasco. O atentado, atribuído a Israel, matou Izz Eldine Subhi Sheik Khalil e feriu três outras pessoas.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2004 | 15h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.