Ativista pró-Wadid promovem ataque na Indonésia

Pelo menos 200 seguidores do presidente indonésio Abdurrahman Wahid invadiram nesta quinta-feira a sede do partido político Golkar,na cidade de Banyuwangi, a cerca de 850 quilômetros da capital Jacarta. O Golkar é um dos partidos políticos mais atuantes na defesa da destituição de Wahid. Os assaltantes destruíram todos os arquivos e atearam fogo nos documentos encontrados. O ataque aconteceu durante um encontro religioso, que acontecerá ao longo do dia de hoje, patrocinado pela organização islâmica Nahdlatul Ulama (NU), a principal do país, com cerca de 40 milhões de filiados. O grupo defende a continuidade de Wadid na presidência do país até 2004.Os seguidores de Wahid já destruíram e incendiaram várias oficinas do Golkar desde que a Assembléia Nacional começou, no início de fevereiro, o processo de destituição do mandatário, acusado de corrução. Wadid declarou esta semana que não tem intenção de deixar o cargo, segundo ele, para evitar a desintegração do país. Desde a queda do regime de Suharto (1967 a maio de 1998), a Indonésia vive uma luta pelo poder, agravados por conflitos separatistas em Aceh, Irian Jaya, Bornéu e nas ilhas Molucas. O país também enfrenta uma grave crise econômica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.