Ativista protesta desde 2009

Malala Yousafzai chamou a atenção do mundo em 2009, quando o Taleban assumiu controle do Vale do Swat, no Paquistão, região próxima da fronteira com o Afeganistão. Apesar das ordens do movimento radical islâmico para que todas as meninas deixassem de ir à escola, a garota continuou frequentando as aulas secretamente, escrevendo a sua experiência num blog anônimo para a emissora britânica BBC. Posteriormente, ela começou a ser citada pelo New York Times e por agências de notícias internacionais.

O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2012 | 08h18

Depois de o Taleban ser em grande parte expulso do Swat, por uma operação militar em meados de 2009, Malala iniciou uma campanha por própria conta.

A adolescente foi incentivada pelo pai, Ziauddin Yousafzai, professor e líder comunitário, que também se manifestava abertamente contra o Taleban e, recentemente, foi ameaçado de morte pelo grupo. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.