Ativistas buscam diminuir abusos a imigrantes

Grupos de ativistas lançaram uma campanha de um mês para documentar o suposto abuso de policiais contra famílias de imigrantes. O objetivo é apresentar as conclusões à Casa Branca. O trabalho visa a demonstrar as políticas e práticas necessárias para garantir não só a segurança na fronteira como também a da comunidade e o respeito aos direitos humanos, disse Jennifer Allen, diretora executiva da Rede de Ação Fronteiriça. Voluntários treinados farão visitas às casas das comunidades de imigrantes nas cidades de Tucson, Nogales e Douglas, para entrevistar pessoas que foram detidas e interrogadas por agentes policiais. A funcionária disse que espera que os voluntários encontrem diversas pessoas que digam que eles ou seus parentes tenham se sentido ameaçados ao ser interrogados. No passado, os imigrantes - em especial em Nogales e Douglas - disseram ter experimentado "perseguição verbal, detenção desnecessária com base na aparência e abuso de autoridade, quando não existe uma causa suficientemente razoável para estar detendo e interrogando a alguém", afirmou Allen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.