Ativistas contra armas químicas sofrem ataque na Síria

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) disse nesta terça-feira que seus inspetores estavam a salvo depois de terem sido atacados enquanto investigavam o suposto uso de gás cloro em uma província ocidental do país.

AE, Agência Estado

27 Maio 2014 | 16h54

Em um comunicado, a OPAQ, que foi agraciada com o Prêmio Nobel da Paz no ano passado, não identificou a natureza do ataque ou seus responsáveis. A organização disse que seus inspetores estavam salvos e bem de saúde, e que voltaram à sua base.

A OPAQ não confirmou nem negou um comunicado do governo sírio que seis de seus inspetores haviam sido sequestrados por rebeldes contrários ao governo durante uma viagem à província de Hama.

A Síria tem insistido repetidamente que combatentes da oposição estão interferindo no trabalho da OPAQ, que supervisiona a remoção do estoque de armas químicas do país. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Síria Armas Químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.