Ativistas contra caça a baleias entram em choque com japoneses

Baleeiros japoneses e manifestantes se enfrentaram na quarta-feira no oceano Antártico, com os ativistas dizendo que três pessoas de sua tripulação foram feridas por arpões e uma vara de bambu e um japonês alegando que os ativistas tentaram cortar cordas e emaranhar as hélices do barco.

REUTERS

18 de janeiro de 2012 | 12h15

O confronto aconteceu no mar a cerca de 300 milhas ao norte da península de Mawson, perto do litoral da Antártida, disse o grupo contra a caça à baleia Sea Shepherd em seu site.

"Nossos barcos pequenos tentaram retardar a embarcação japonesa Yushin Maru no 2, que estava atacando agressivamente o Steve Irwin", disse o capitão Paul Watson

O Steve Irwin é o barco-chefe do grupo.

O comunicado dizia que um tripulante norte-americano, Brian Race, sofreu lacerações em cima de seu olho direito e em seu nariz por uma vara de bambu, enquanto o cinegrafista Russel Bergh da África do Sul e o fotógrafo Guillaume Collet da França sofreram ferimentos de ganchos de ferro.

Um vídeo japonês exibido pelos baleeiros mostrava um canhão de água no navio japonês sendo disparado contra um barco de borracha preto, enquanto projéteis não identificados pareciam estar sendo jogados no navio japonês por ativistas da pequena embarcação.

O site do Instituto de Pesquisa de Cetáceos do Japão dizia que os ativistas usaram facas para tentar cortar as cordas, atiraram ganchos nas redes e tentaram parar as hélices do navio com cordas.

O porta-voz do instituto, Glenn Inwood, disse: "há uma chance de eles terem se ferido com os próprios ganchos".

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOBALEIAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.