Ativistas da Arábia Saudita pedem reformas

Mais de 100 acadêmicos, ativistas e empresários da Arábia Saudita pediram por reformas, incluindo o estabelecimento de uma "monarquia constitucional", no reinado conservador do Golfo, por meio de um comunicado divulgado hoje na internet. "Vamos entregar esses pedidos ao rei Abdullah em um outro momento", disse Khaled al-Dakhil, professor de ciências políticas da Unigersidade do Rei Sau e um dos 123 signatários da petição.

AE, Agência Estado

27 de fevereiro de 2011 | 14h43

"Temos fortes esperanças de que essas reformas serão implementadas", disse Dakhil à agência de notícias AFP. "Agora é o momento", completou. A petição publicada na internet pede pela eleição, e não indicação, de um conselho consultivo Shura, além da criação de uma monarquia constitucional - uma demanda que levou à prisão de ativistas de 2003 a 2004.

Ela também pede pela ampliação da participação das mulheres na vida social e política do país. A Arábia Saudita controla um quarto das reservas de petróleo do mundo, mas o desemprego entre os jovens é de 10% e as mulheres são amplamente excluídas da força de trabalho. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Arábia Sauditaprotestoreformas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.