Ativistas denunciam morte de 8 manifestantes na Síria

Forças de segurança de Assad também teriam prendido dezenas de pessoas em Jabal al-Zawiya

AE, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 09h52

BEIRUTE - Forças de segurança da Síria mataram pelo menos oito pessoas e prenderam dezenas em operações militares realizadas nas últimas 24 horas, afirmaram nesta quinta-feira, 14, ativistas do país.

 

Veja também:

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

 

Mustafa Osso disse que pelo menos sete pessoas morreram durante uma série de ações na região de Jabal al-Zawiya, na província de Idlib, no norte do país, na noite de ontem. Dezenas de pessoas foram presas.

Os Comitês Locais de Coordenação, que acompanham as manifestações contra o governo da Síria, confirmaram ontem os homicídios. O grupo também denunciou que um homem de 45 anos foi assassinado por um disparo hoje na província de Deir el-Zour, perto da fronteira com o Iraque.

Os grupos pelos direitos humanos afirmam que pelo menos 1,6 mil pessoas morreram na repressão oficial aos protestos por democracia e contra o governo do presidente Bashar al-Assad.

Sanções

Hoje, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu sanções mais duras contra a Síria, por causa das ações do regime contra os opositores. "Eu penso que devemos fortalecer as sanções contra um regime que usa as medidas mais brutais contra sua população", afirmou Sarkozy em entrevista à televisão.

 

"A atitude do presidente sírio Bashar Assad é inaceitável. Nenhum ditador, seja quem seja, pode ficar impune." As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.