Ativistas denunciam sabotagem de navio da flotilha humanitária a Gaza

Segundo porta-voz do grupo, um dos navios da frota foi danificado propositalmente

28 de junho de 2011 | 11h20

ATENAS - Os organizadores gregos da "Segunda Flotilha da Liberdade" para romper o bloqueio naval israelense de Gaza denunciaram nesta terça-feira, 28, em Atenas um ato de "sabotagem" contra uma de suas embarcações na capital grega.

 

Em declarações à Agência Efe, um dos porta-vozes denunciou que ao meio-dia de ontem "se constatou que um dos navios, o 'Giuliano', de propriedade grega e com capacidade para 25 passageiros, tinha sido danificado de propósito".

 

A imperfeição, segundo o ativista grego, foi localizada no eixo que leva a hélice, que estava cortado com serrote e se rompeu durante um teste de navegação, além de um dos motores da embarcação não funcionar.

 

"Trata-se claramente de um ato de sabotagem", afirmou, depois de mergulhadores terem examinado a imperfeição.

 

O porta-voz anunciou que está sendo realizada uma investigação em todos os navios, "localizados em diversos portos do Mediterrâneo", para constatar possíveis sabotagens, e os turnos de segurança foram intensificados.

 

Apesar disso, o incidente "não afetará os planos de navegar em direção a Gaza".

 

O Governo de Israel se manifestou na segunda-feira determinado a interceptar a flotilha que, segundo seus organizadores, chegará às águas territoriais de Gaza na quinta ou sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.