Ativistas egípcias denunciam abusos sexuais e ameaças

Ativistas egípcias e grupos de defesa dos direitos humanos acusaram nesta quarta-feira soldados e carcereiros egípcios de abusos sexuais cometidos durante as mais recentes manifestações. Mais de 12 mulheres foram detidas, em meio a 300 manifestantes presos após uma manifestação na frente do Ministério da Defesa no Cairo, semana passada.

AE, Agência Estado

09 Maio 2012 | 16h44

A ativista Aida Seif al-Dawla disse nesta quarta-feira que guardas femininas em uma prisão no Cairo abusaram sexualmente de algumas detidas, quando realizaram inspeções nos corpos delas supostamente buscando drogas.

Outra ativista detida recentemente disse a uma comissão parlamentar que soldados a espancaram até à inconsciência e depois a ameaçaram com um estupro. Não houve nenhum comentário da junta militar que governa o Egito.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.