Ativistas espanhóis ocupam embaixada em Bagdá

Vários ativistas espanhóis ocuparam, nesta terça-feira, a embaixada da Espanha em Bagdá, e disseram que os diplomatas que deixaram o Iraque enquanto o governo espanhol ameaça Bagdá com uma guerra abandonaram a esperança de obter a paz. Os 17 ocupantes, que colaram cartazes com o lema "Não às sanções, não à guerra" na fachada da embaixada, posaram para os fotógrafos em um dos terraços da sede, onde leram um manifesto para os jornalistas."Está é nossa casa", proclamou Pedro Pablo Vicente Torres, um sindicalista de Málaga. "Por que abandonaram a embaixada, se não querem a guerra?"Os manifestantes entraram na sede diplomática sem enfrentarem resistência. Seu único ocupante, um jardineiro iraquiano, limitou-se a sorrir quando depois lhe perguntaram por que abrira a porta, e disse que um funcionário espanhol poderia vir na quarta-feira de Amã, a capital jordaniana, para dialogar com os ocupantes. A polícia iraquiana, que dirigia o trânsito diante da embaixada, não se aproximou da sede. Os ativistas não indicaram quanto tempo permanecerão na embaixada, embora vários deles tenham dito que trouxeram suas escovas de dentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.