Ativistas exigem que ONG 'casse' rei da Espanha

O polêmico safári do rei espanhol, Juan Carlos, deve custar a ele mais do que o constrangimento de ter de pedir perdão ao povo de seu país - por ter gastado a pequena fortuna de 30 mil para sua aventura em Botsuana em meio à maior crise econômica da Espanha nas últimas décadas. Insatisfeitos com a participação do monarca na caça aos elefantes, que está pondo em risco a espécie na África, ativistas exigem que a organização ambientalista WWF casse dele o título de presidente de honra.

PARIS, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2012 | 03h06

No começo da semana, o tema provocou a ira de defensores dos direitos dos animais em toda a Europa. Na França, a atriz Brigitte Bardot publicou nota classificando de "chocante e escandalosa" a atitude de Juan Carlos. "É indecente e indigno de uma pessoa de sua estatura", afirmou a atriz. "O senhor não vale mais do que os bandidos que saqueiam a natureza. O senhor é uma vergonha para a Espanha." Em editorial, o jornal El Mundo, identificado com a direita espanhola, afirmou, na segunda-feira, que o incidente transmitia "uma imagem de indiferença e de frivolidade que o chefe de Estado não deveria jamais passar". / A.N. COM AFP e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.