Ativistas invadem usina nuclear na França

Ativistas do Greenpeace invadiram uma usina nuclear francesa durante a madrugada nesta segunda-feira, ação que embaraçou o governo, que realiza uma revisão de segurança em importantes instalações nucleares do país.

AE, Agência Estado

05 de dezembro de 2011 | 18h18

Em uma das pelo menos quatro tentativas de invasão quase simultâneas em toda a França, nove ativistas entraram numa usina nuclear em Nogent-sur-Seine, ao sudeste de Paris.

Alguns deles escalaram a cúpula de um reator nuclear para colocar uma faixa na qual se lia "energia nuclear segura não existe" e pintaram um ponto de exclamação, lembrando o perigo, no telhado.

O presidente Nicolas Sarkozy, disse que o episódio foi "irresponsável" ao arriscar vidas, embora a tática de guerrilha imediatamente tenha levantado preocupações sobre a vulnerabilidade das instalações nucleares francesas a terroristas e a outros invasores.

A França apoia o uso da energia nuclear e obtém cerca de três quartos de sua eletricidade de usinas, mais do que qualquer outro país. Protestos de ativistas são bastante comuns contra o transporte de lixo nuclear, mas a incursão de ativistas no interior das usinas não é comum.

O Greenpeace disse que a invasão teve como objetivo mostrar que a revisão nas medidas de segurança - ordenada pelas autoridades francesas após um tsunami ter atingido a usina de Fukushima, no Japão, em março, teve o foco concentrado em desastres naturais e não em fatores humanos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançanuclearGreenpeace

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.